Previdência privada, tudo o que você precisa saber

Previdência privada, tudo o que você precisa saber.

Você já possui um plano de previdência privada? Eu Já. Sabe por que? 

Porque eu não vou trabalhar para sempre e já venho planejando o dia em que poderei me aposentar.

E você deveria fazer o mesmo, afinal de contas, você também não vai trabalhar para sempre.

Antes de tudo, deixe-me explicar uma coisa. 

Não há problema algum trabalhar até os 70, 80 anos, o problema está em  ter que trabalhar por necessidade.

Necessidade de fazer dinheiro para pagar as contas e ter uma vida, no mínimo, digna.

Na verdade, quando me refiro a aposentadoria, quero dizer que a partir desse momento, você poderá fazer qualquer coisa da vida que não seja por obrigação. 

Inclusive, abrir o seu próprio negócio, fazer trabalhos humanitários, ou, qualquer outra coisa em que o dinheiro não seja o mais importante.

E você nem precisa esperar chegar ao 60 ou 65 anos para declarar a sua aposentadoria.

Você já imaginou poder fazer isso com 30, 40 ou 50 anos?

Eu já e a chave para você conseguir isso é a antecipação. 

Você já sabe que em algum momento da sua vida, você não irá ter mais condições físicas ou mentais para bater o seu ponto.

Se você já sabe disso, eu te pergunto:

Por que não começar a se preparar para esse futuro, ainda hoje, enquanto você tem energia, disposição e tempo?!

Por que você precisa considerar fazer um plano de Previdência Privada?

É cada vez mais nítida a preocupação das pessoas quando o assunto é aposentadoria.

Isso, porque é cada vez mais difícil confiar que o governo será capaz de assumir esse compromisso com cada um de nós.

Você precisa considerar fazer um plano de previdência porque, dessa maneira, você estará no controle de sua vida.

Consequentemente, terá um investimento sob medida que atenda as suas necessidades, dependerá cada vez menos do INSS e dependendo do plano de previdência, ainda terá um belo incentivo em relação a redução de imposto de renda pago.

Por tanto, uma das coisas que mais me chamam a atenção ao realizar meus  investimentos, é a chance de me preparar para o futuro, acima de tudo, é uma grande forma de antecipar o que eu quero, ainda hoje, enquanto tenho condições de gerar renda.

Afinal de contas, eu não vou trabalhar para o resto da vida. E nem você!

Mas afinal, o que é um plano de Previdência Privada?

Previdência Privada é um plano de investimentos específicos.

Tem como objetivo o acúmulo de capital para complementar a sua renda durante a aposentadoria.

É uma forma de guardar dinheiro mensalmente e como resultado, depender cada vez menos do INSS, por exemplo.

Esses investimentos são feitos através de bancos e corretoras de valores.

Ao contrário dos fundos tradicionais, que são supervisionados pela CVM, os fundos de previdência são supervisionados pela SUSEP.

O que você precisa levar em conta para montar um plano desses?

Para montar um plano de previdência, você precisa determinar quatro fatores:

  1. Seu objetivo: o que você busca com um plano de previdência, o valor das aplicações, a frequência etc.)
  2. Tipo de plano: entender qual a melhor opção, um VGBL ou PGBL
  3. Tabela de tributação: existem duas possibilidades para pagar o imposto, tabela regressiva ou tabela progressiva.
  4. Qual fundo irá aplicar: Existem diversas opções de fundos, é precisa saber qual deles funcionará melhor para os seus objetivos.

E, consequentemente, reforçar esse compromisso com você mesmo.

Uma explicação sobre os tipos de planos de previdência privada, PGBL  ou VGBL?

PGBL: Plano Gerador de Benefício Livre.

Esse tipo de plano possui uma grande vantagem para quem faz a declaração anual de imposto de renda, na forma completa.

Você pode abater até 12% da sua renda tributável, mas precisa estar com as contribuições do INSS em dia.

Mas, como assim um abate de 12% sobre a renda tributável?

Vamos ao exemplo.

Vamos supor que você ganhe R$ 100.000,00 por ano e que a soma das suas contribuições mensais em um plano PGBL dê R$ 12.000,00.

Ao preencher a sua declaração de ajuste anual de imposto de renda, aquela feita uma vez ao ano, os cálculos de imposto vão ter como base o valor de R$ 88.000,00 e não sobre os R$ 100.000,00.

Essa redução se dá, pelas suas contribuições em um plano do tipo VGBL.

Mas preste atenção. Isso não quer dizer que você tem um desconto, ou que não irá pagar imposto ao fazer um plano de previdência.

Em um VGBL, o imposto é paga sobre o valor total do seu patrimônio acumulado. Quero dizer que, o imposto incidirá tanto sobre as aplicações quanto sobre os rendimentos.

E o quanto você pagará de imposto, dependerá da tabela que você escolheu na contratação do plano.

Por isso, antes de fazer um investimento desses, é preciso comprar com outros tipos de investimento e fazer as contas para ver se vale a pena, ou ainda, que valor de contribuição irá valer a pena.

VGBL:Vida Gerador de Benefício Livre

VGBL e é outra opção para o tipo de plano de previdência.

Nesse tipo, não há aquele abatimento de 12% sobre a renda tributável quando você for fazer a declaração do imposto de renda.

VGBL é mais indicado para quem já contribui com o limite de 12% em um PGBL e deseja contribuir em planos de previdência privada.

Por não ter o abate de 12%, é mais indicado para quem faz a declaração de imposto de renda na forma simplificada.

A tributação também é diferente dos PGBLs. Em VGBL, o imposto de renda incidirá apenas sobre os rendimentos.

Resumindo:

 

Mas, caso queira aprender outras possibilidades de investimento, você pode conhece os Fundos de Renda Fixa e os Fundos de Ações.

Tipos de tributação em previdência. Tabela Progressiva e Regressiva

Tabela Progressiva

Tabela progressiva é aquela em que a alíquota de imposto aumenta progressivamente de acordo com o aumento do patrimônio acumulado.

Caso você solicite o resgate total ou parcial, após algum tempo de contribuição, será cobrado 15% de imposto de renda sobre os rendimentos.

Essa alíquota refere-se ao adiantamento do pagamento de imposte de renda e poderá ser ajustada ao fazer a sua declaração de ajuste anual.

Mas, a alíquota máxima de IR que você poderá pagar é de 27,5%.

Caso transforme o capital acumulado em renda mensal durante sua aposentadoria, a alíquota de IR será a seguinte:

A tributação progressiva também pode ser chamada de fixa ou compensável.

Tabela Regressiva

Já a tabela regressiva, é aquela em que a alíquota de IR decresce em função do tempo de permanência de cada aporte.

É importante que esse detalhe fique bem claro.

A alíquota de IR decresce em função do tempo de permanência de cada aporte e não sobre o tempo de existência do seu plano.

Quero dizer que cada aporte que você fizer, contará a alíquota de IR sendo contada de forma independente.

Ao transformar o patrimônio acumulado em renda mensal, o primeiro aporte que você fez, será o valor que você irá receber primeiro e assim por diante.

A tabela segue da seguinte maneira:

Tabelas de tributação, é possível alterar após a contratação do plano?

Em apenas um caso não será possível alterar a tabela de tributação do plano.

Tabela Progressiva para Regressiva pode ser alterada.

A troca de tabela funciona como uma portabilidade interna e pode levar alguns dias para ser efetivada.

Mais sobre portabilidade mais afrente.

Ao fazer essa troca, todo o tempo de contribuição do primeiro plano é zerado e a passa a ser contado do zero.

Não é permitida a troca de tabela regressiva para progressiva.

Ao fazer uma portabilidade de planos e manter a mesma tabela de tributação, o tempo de contribuição é conservado.

Custos de um plano de previdência

Da mesma maneira que um fundo de investimento tradicional cobra taxas para poder custear suas atividades, um fundo de previdência também irá cobrar.

A taxa de administração é cobrada para que o fundo possa arcar com as despesas financeiras do fundo.

Essa taxa é expressa em anos, porém é descontada mensalmente.

Ao pagar a taxa de administração, você estará remunerando uma equipe profissional para gerir seus investimentos e, por isso, você precisa ficar atendo ao valor dessa taxa.

Nos grande bancos, a taxa de administração costuma ser muito elevada em qualquer tipo de fundo.

Outra taxa cobrada por fundos de previdência, é a taxa de carregamento.

Essa taxa pode ser cobrada mensalmente, em cima dos seus aportes, ou no momento do resgate, ou ainda, ao solicitar a portabilidade.

É taxa é uma prática dos grande bancos e é prejudicial ao seu patrimônio.

As seguradoras e gestoras independentes não cobram esse tipo de taxa.

Veja a seguir, o impacto que 1% a mais ou a menos pode fazer com os seus investimentos:


Se você já possui um plano de previdência, procure saber quais os valores das taxas que você está pagando.

Essas informações estão disponíveis, apesar de não serem tão claras.

 

turn wise previdência privada

Contribuições

Aqui está mais um grande benefício para quem possui um planos de previdência.

Como seres humanos, somos ótimo em planejar mas falhamos ao executar.

Quero dizer que é muito fácil falar que irá fazer um investimento e até saber qual o valor irá aplicar mensalmente.

Porém, ao chegar o momento da aplicação, sempre aparece um motivo mais forte que nos faz postergar os investimentos.

Felizmente, em planos de previdência, é possível que você faça as contribuições serem descontadas em débito automático.

Isso mesmo, você pode automatizar suas aplicações e não vai ter que se preocupar se irá sobrar dinheiro ou não para aplicar na previdência.

Contratação de renda

Como a ideia geral ao contratar um plano de previdência é transformar o patrimônio acumulado em renda, a SUSEP determina que você pode escolher qual tipo de renda.

Entre as opções, é possível escolher:

  1. Renda Vitalícia

A seguradora é obrigada a manter os pagamentos até a data de falecimento, mesmo que os valores recebidos sejam maiores que o valor total de suas contribuições.

Por outro lado, a seguradora reterá parte de seu patrimônio caso você não receba todo o valor contribuído até a data de seu falecimento.

  1. Renda Vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

Ao contratar esse tipo de renda, você irá receber uma renda mensal até a data de seu falecimentos.

Após isso, a renda é revertida ao cônjuge e na falta deste, reversível temporariamente ao menor, até que complete 18 anos.

  1. Renda Vitalícia com reversão ao beneficiário indicado

Renda mensal a ser paga vitaliciamente ao beneficiário

  1. Renda temporária

Renda mensal a ser paga temporariamente a você. Essa renda termina com o seu falecimento ou ao término do prazo estabelecido em contrato.

  1. Renda mensal por prazo certo

Renda mensal a ser paga por um prazo pré-estabelecido, com prazo máximo de 240 meses.

Onde encontrar os melhores planos de previdência ?

Por ser um investimento de longo prazo e possuir suas particularidades, é preciso ter um plano de previdência que se adapte ao mercado e suas condições.

Exatamente por isso, você não irá encontrar os melhores planos no seu banco.

Os grande bancos não possuem o comprometimento de longo prazo com seus clientes.

Faz parte do modelos de negócio captar dinheiro hoje sem o compromisso de entregar retorno, o seu dinheiro já está por lá mesmo.

Diferentemente, as gestoras e seguradoras independentes precisam entregar retorno a seus clientes para poder atrair mais clientes.

Faz parte do modelo de negócio ter interesses alinhados com seus clientes e visão de longo prazo.

3 casos reais

Há um tempo, alguns clientes me solicitaram para rever seus planos de previdência que mantinham em seus bancos.

Eu já sabia que, pelo simples fato de ter previdência no banco, eu poderia oferecer soluções melhores. Mas, em todo caso, fiz a comparação entre o fundo que possuíam e novas possibilidades.

Afinal de contas, eu precisa saber qual fundo de previdência seria o ideal para eles.

Retirei os nomes dos fundos para que não seja interpretado como recomendação.

Perceba que nos três casos, as previdência bancárias rendem menos que o CDI e isso significa que o dinheiro deles não estavam rendendo de forma adequada.



Portabilidade de planos, por que considerar?

Se você tem um plano de previdência privada em seu banco e está contando com ela para poder se aposentar, então precisa considerar fazer uma portabilidade do seu plano.

Fundos de previdência dos grande bancos entregam pouco retorno e cobram muito caro.

Já os fundos de gestoras independentes, entregam mais retorno e possuem taxas menores.

Essa diferença entre os valores de taxas praticadas e rentabilidade entregues, refletem os gráfico anteriores.

Afinal de contas, o que é portabilidade?

Portabilidade é a troca de planos de previdência.

Isso quer dizer que, se você deseja migrar para um plano melhor, não precisa sacar qualquer valor do seu plano atual.

Ao fazer a portabilidade, todo o seu saldo passa para o plano desejado e não há custo com imposto de renda.

Conclusão

Ter um plano de previdência privada, pode turbinar os seus investimentos orientados ao longo prazo.

Mas, antes de por em prática, é preciso analisar que tipo de plano faz mais sentido para você e que tipo de tabela de tributação se encaixa melhor.

Se você for manter um fundo de previdência por mais de dez anos, a tabela regressiva pode ser uma boa escolha.

Agora, se for manter esse fundo por menos de dez anos, talvez, escolher a tabela progressiva seja a melhor solução.

Não esqueça, que os planos do tipo VGBL possuem o incentivo de abater até 12% de sua renda tributável anual.

Qualquer dúvida, fique a vontade para entrar em contato.

Juntos pela sua liberdade financiera,

assinatura autor Rafael Dadoorian

0/5 (0 Reviews)

Deixe um comentário